sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Participação Agosto cultural


Política




Prefeitura oportuniza cultura ao alcance de toda comunidade

19/08/2011


Abram as cortinas que o show vai começar. Em uma iniciativa inédita, a prefeitura municipal de Araranguá, através do Departamento de Cultura, leva para as comunidades espetáculos que oportunizam o contato direto da população com a arte. Na última quarta-feira, no início da noite, foi à vez do bairro Lagoão receber a apresentação de corais. Cinco deles deram um verdadeiro show de magia e encantamento no evento que aconteceu na igreja católica da comunidade.





Grupo Juvenil Vozes do Amanhã, da Casa da Fraternidade, Coral de Parkinsonianos, Grupo de Vozes Sorrir e Cantar, de Arroio do Silva, Grupo Folclórico I Trevisani e ainda Associação Coral de Araranguá, se reuniram para fazer uma noite mágica e encantadora, proporcionada ao público presente que não se cansava de admirar e aplaudir. Quem abriu a noite foi o Coral de Parkinsonianos Tocando em Frente. Sob regência do maestro Tomás Abati, o grupo mostrou que a doença de Parkinson, com seus tremores e rigidez dos membros, não incapacita para cantar e encantar.





Os espectadores se renderam as vozes dos corais e unidos às fortes palmas, a plateia acompanhava em um só compasso, o que provocou lágrimas de emoção em alguns. Quem também se emocionou foi a empregada doméstica Mariléia Mota Barbosa, 37 anos, e sua irmã Cristiane Mota Barbosa, 27. Foi a primeira vez que as duas assistiram a um show de corais na vida. Para não perder nenhum momento, sentaram-se na primeira fila. “É muito emocionante, nunca tínhamos visto, é algo que precisa ter mais vezes aqui,” revelaram as mulheres que prometem prestigiar sempre que tiverem oportunidade. Elas aproveitaram para criticar a pouca participação da comunidade, que deveria se apropriar mais destes bens culturais. “Estamos distante das coisas boas e quando temos a possibilidade de prestigiar o que de bom acontece na cidade é preciso aproveitar,” frisa Mariléia.





Para o diretor de Cultura, Jair Anastácio, realmente existe uma certa resistência da população em participar de eventos culturais. “A ideia de descentralizar a cultura é justamente para mudar esse cenário. Se a sociedade não vai até o show, desta vez o show vem até ela. As pessoas não estão acostumadas com isso, portanto, o começo certamente não será com casa cheia e nem fácil. Mas temos o compromisso de levar cultura para todos e isso que faremos,” relata.





Jair salienta ainda, que está valendo cada esforço no sentido de possibilitar a realização dos espetáculos e apresentações. “Estamos bastante satisfeitos com os resultados e a população reconhece nosso esforço. Quem assiste pela primeira vez ou tem um primeiro contato com a arte, quer retornar, quer viver isso novamente. A 12ª Edição do Agosto Cultural está sendo um verdadeiro sucesso”, finaliza.




Fonte: Correio do Sul













GRUPO DE APOIO PSICOLÓGICO DINAMICA



CONSELHO MUNICIPAL DE DEFICIENTES




Membros da Associação Tocando em Frente , abriram o encontro da ADEAR ,com aprresentação do Coral e para juntos formarmos o CONSELHO MUNIICPAL DOS DEFICIENTES.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

noticioas do correio do sul

Variedades

Imagem Notícia

Associação de Parkinson de Araranguá representa Estado

27/07/2011

Com o objetivo de assegurar conquistas já previstas em lei aos portadores de Parkinson, os representantes das 22 associações existentes no país, se reúnem nesta quinta-feira, em Brasília, com os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e também com o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho. A presidente da associação de Araranguá é quem representará o Estado na audiência, informou Maria Célia Figueiredo em visita à redação do Correio do Sul. Ela antecipa que para o ministro da Fazenda, a reivindicação refere-se à isenção dos impostos de importação que incidem sobre produtos como marca-passo, que possui uma tributação muito alta, o que onera sensivelmente seu preço final tornando-o fora do alcance de inúmeros pacientes que podem com ele ganhar qualidade de vida.





Em Araranguá, apenas um parkinsoniano conseguiu fazer a cirurgia e colocar o equipamento que custa em média R$150mil. Seu Joaneci de Melo, 46 anos, aderiu ao novo tratamento ainda no ano passado. Seu quadro era bastante grave e foi melhorado graças ao procedimento que possui longa fila de espera. Na cirurgia são implantados dois marca-passos no peito do paciente, ligados por eletrodos ao cérebro. Para Garibaldi Alves Filho, a solicitação será de que as pessoas que se aposentarem em virtude do Parkinson - e que necessitam de um cuidador para suas necessidades diárias – passem a receber o acréscimo de 25% de suas aposentadorias, já previsto na legislação previdenciária e que vem sendo negado.